• Alexandre Nasiasene Gomes

Lançado projeto que vai transformar a satélite em uma cidade inteligente e rota do turismo

*Por Thainá Salviato (Ascom/Hackacity Guará)

Aconteceu na manhã desta segunda-feira (4/10), na Escola Técnica do Guará Professora Teresa Ondina Maltese, o lançamento das ações com foco no turismo do programa “Hackacity Guará - Mutirão Cidade Inteligente”. A iniciativa, desenvolvida pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico do Distrito Federal (Codese-DF) com apoio da Secretaria de Turismo (Setur-DF), tem como objetivo tornar o território mais inclusivo, seguro, resiliente e sustentável.


A viabilização técnica do projeto conta com apoio da sociedade guaraense, incluindo o Espaço Multiplicidade, o Jornal do Guará e o Conselho de Cultura do Guará. A primeira etapa da iniciativa conta com recursos de R$ 180 mil, oriundos de emenda parlamentar do deputado distrital Leandro Grass investidos no projeto por meio da Setur-DF.




O evento de lançamento contou com a participação da secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça; do presidente do Codese DF, Leonardo Ávila; da administradora do Guará, Luciane Quintana; da gerente de Desenvolvimento Econômico da Administração do Guará, Viviane Melo; da diretora da Escola Técnica do Guará, Gisele Rejane Souza Calovi; e do deputado distrital Leandro Grass.


A diretora da Escola Técnica do Guará e anfitriã do dia, Gisele Rejane Souza Calovi, destacou que a instituição de ensino “está à disposição para atuar em parceria com o projeto que é super importante para a comunidade do Guará. Nós, enquanto instituição que oferta educação profissional e técnica, ficamos muito felizes em participar dessas iniciativas”.



Já o presidente do Codese-DF aredita que o Hackacity Guará poderá servir de modelo não só para outras Regiões Administrativas (RAs) do Distrito Federal, como para cidades do entorno e até do Brasil. “O Codese está envolvido e se envolverá em todas as questões que dizem respeito à melhoria da qualidade de vida da população. Desejamos a todos um excelente trabalho para que o Hackacity faça realmente diferença na comunidade guaraense”, declarou Leonardo Ávila.


Para o deputado distrital Leandro Grass, o projeto é uma oportunidade para repensar a economia e a geração de emprego e renda: “Precisamos de uma política de desenvolvimento econômico que vá além dos macro programas, mas que seja também voltada para os territórios, onde vamos encontrar soluções para os nossos problemas. Então, esse Hackacity, que vai reconhecer e estimular o que temos de melhor no Guará, sem dúvida já será uma grande contribuição para o desenvolvimento econômico que a gente sonha”.



Vanessa Mendonça, secretária de Turismo do DF, também enxerga potencial econômico nas ações do Hackacity, além de acreditar no potencial do projeto para ativar o turismo na região e valorizar as potencialidades da cidade. “Hoje é um dia muito importante porque esse é um projeto que vai revelar o que nós, que conhecemos o Guará e o setor produtivo, já sabemos, mas que agora teremos condição, por meio de um projeto estruturado, de mostrar tudo que o Guará tem. Brasília é muito mais do que as pessoas imaginam porque as nossas RAs são realidades em todos os seguimentos e, pelo olhar do turismo, que representa mais de 52 atividades econômicas, nós estamos levando Brasília e mostrando as nossas RAs com uma força cultural e de geração de renda incríveis. Esse projeto insere o Guará não só na rota turística, mas vai fazer uma diferença qualitativa muito grande para o presente e o futuro dos nossos jovens”.


Revelando ativos e traçando estratégias para uma cidade inteligente

A idealizadora e coordenadora do Hackacity Guará, Cristiane Pereira, fez uma breve apresentação sobre as ações previstas no escopo do projeto. Ela destacou credenciais que a cidade já possui para o desenvolvimento inteligente e sustentável e mostrou de que forma a iniciativa poderá contribuir para esse processo de evolução.


“Precisamos divulgar a nossa cidade, colocá-la dentro de uma rota turística que as pessoas precisam conhecer. Temos uma fase também do nosso projeto que é um olhar para a Carta Brasileira para Cidades Inteligentes. Teremos 12 lives que discutirão os temas da Carta e vamos gerar um diagnóstico sobre o que o Guará tem que o possibilita se tornar uma cidade inteligente, não apenas sob o ponto de vista dos especialistas que traremos, mas também da sociedade. Cidade inteligente não é tecnologia. Tecnologia é meio para alcançarmos objetivos. Cidade inteligente é composta por pessoas e a tecnologia vem para nos ajudar a viver bem. Por isso, o projeto Hackacity vai primeiro mobilizar as pessoas e depois entendermos quais são as preocupações do cidadão é que vamos mapear e desenvolver tecnologias para implementar nesta cidade inteligente”, ressaltou Cristiane Pereira.


Essa primeira etapa do Hackacity Guará será composta por três fases:


Fase 1 - produção de oito unidades de vídeo de cinco minutos sobre os seguintes conteúdos:


  • Vídeo da história do Guará do nascimento até os dias atuais.

  • Vídeo de contextualização da cidade do Guará como área turística mostrando restaurantes e pontos turísticos gerais da cidade;

  • Park sul como polo hoteleiro importante fora do eixo do Plano Piloto;

  • Feira do Guará — identificar como o “mercado municipal” do DF;

  • Rota gastronômica do Guará;

  • Projetos culturais do Guará e espaços físicos;

  • Museus: Disco de Vinil e do Reggae;

  • Parque Ezequias Heringer o maior Orquidário endêmico do cerrado.

Fase 2 - Lançamento de canal de Youtube e realização de 12 lives:


01 Canal no Youtube #HackacityGuará lançado, com vídeos.


12 Webinários ou Painéis temáticos on-line, trazendo convidados e especialistas de gastronomia da cidade onde serão abordados temas alinhados à Carta Brasileira de Cidades Inteligentes e a proposta de elaboração do Guia do Guará colaborativo.


Nesta fase, as lives seguirão a linha de pensamento prevista na Carta Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas e abordarão temas essenciais para o desenvolvimento inteligente do território guaraense, como as vocações turísticas e regionais locais e potencialidades e demandas da região.


Fase 3 - Oito horas de atividades diversas:


  • 10 paineis nas seguintes temáticas: Empreendedorismo Social e Economia Criativa; Gastronomia; Moda; Meio ambiente e Sustentabilidade (Horta comunitária do Guará); Inteligência Artificial; Cidades inteligentes; Diversidade; Games; Mobilidade; Esportes no Guará.

  • 5 palestras;

  • 2 vídeos: incluindo um com os resultados do projeto.

  • População engajada

O lançamento do Hackacity também contou com a participação de moradores do Guará que atuam ativamente na mobilização social da cidade e estão engajados no projeto.

Verônica Portácio, professora aposentada da Secretaria de Educação e ex-diretora da Escola Técnica do Guará, cresceu na cidade e se orgulha da trajetória do pai, que veio do Ceará em pai de arara para ajudar a construir a capital federal. “Viemos morar aqui em 1972 e aqui é o berço da minha vida! O Guará tem um potencial muito grande, principalmente na parte cultural. Nasceu como uma cidade dormitório, mas foi além dessa condição e hoje temos um polo industrial com muitas confecções que precisam ser valorizadas, que geram emprego. Temos a Feira do Guará, o setor de oficinas. Então temos potencial para crescer, uma população que utiliza os serviços locais. O que precisamos é de maior visibilidade e eu creio que com esse projeto vamos dar essa visibilidade necessária”.


Outro cidadão guaraense apaixonado e ativista é Rafael Souza, gestor do Jornal do Guará e representante da Associação Comercial. Ele ratifica o amor que os cidadãos têm pela cidade, mas destaca a necessidade de intensificar esse sentimento por meio de ações e projetos que valorizem ainda mais os ativos locais. “O Hackacity Guará é muito importante porque é o momento de repensarmos a cidade, que precisa de um ganho de autoestima. Temos essa relação afetiva com a cidade, nós guaraenses cultivamos isso, mas precisamos reavivar esse sentimento nas pessoas para que elas consumam no Guará, se hospedem nos hotéis, venham aos restaurantes, porque isso aquece a economia, gera empregos na cidade. Para além disso, queremos consumir a cultura guaraense, torcer pelo esporte guaraense e precisamos repensar tudo isso. O Guará, hoje precisa de projetos novos, soluções inovadoras e acho que esse projeto é uma oportunidade ímpar para isso”.

Já Everardo Aguiar tornou-se morador do Guatá há pouco menos de dois anos, mas já se considera um apaixonado pela cidade e atua como mobilizador social na comunidade. Ele, que já morou em diversas RAs, enxerga Brasília como uma cidade integrada que está no coração de todos. “Morei em vários lugares de Brasília e em todos os lugares que morei, como Taguatinga, Ceilândia, Paranoá, Plano Piloto, eu vi que Brasília é uma só. Sempre frequentei o Guará desde criança, mas nunca tinha morado aqui. Há menos de dois anos me mudei e penso que fiz um ótimo negócio”.

Para ele, o capital mais importante de uma cidade são as pessoas e a integração delas em prol da melhoria da qualidade de vida na cidade em que habitam: “Os prédios, as estruturas físicas são necessárias, mas o importante são as pessoas e o fundamental é a interação social. Mais que isso, o importante é não ficar esperando por uma luz no fim do túnel, nós é que iluminamos o túnel. Ao fazermos isso vamos estar iluminando a cidade e ultrapassando os obstáculos. Eu acredito que o Hackacity vai iluminar um grande processo de travessia para que esse ambiente afetivo que é o Guará seja exemplo de colaboração e de pacificação dos nossos lugares”.


Para acompanhar as atividades do projetos, basta seguir o @hackacityguara nas redes sociais.





--

Thainá Salviato

Jornalista



181 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo